Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

PRIMEIRA TENTATIVA DE ORDENAÇÃO










INTRODUÇÃO

CAPÍTULO I: OS TRAJETOS ANTROPOLÓGICOS DO IMAGINÁRIO
1 A história
2 O mito
3 A Imagem e a imaginação
4 O Imaginário
5 Os regimes da imagem
5.1 O Regime diurno
5.2 O Regime noturno
6 Os Trajetos das imagens
7 A Mitocrítica e a mitanálise
8 A Topoanálise

CAPÍTULO II : O GRANDE SERTÃO VEREDAS E O ESPAÇO SERTÃO

1 O Espaço sertão
2 A Invenção do espaço
3 A Invenção da Nação
3.1 As interpretações dualistas e suas críticas
3.2 Os intérpretes do Brasil
4 A Invenção da Tradição
5 A invenção do sertão
6 O Sertão imaginado
7 Os marcadores do sertão
8 Os limites do espaço imaginado

CAPÍTULO III:

1 O Sertão como mito da nacionalidade
2 O Sertão como travessia da personalidade
3 O Sertão como cópia “autêntica” da brasilidade
3.1 A Dialética da direção
3.2 O Discurso do colonizado
4 Os Marcadores míticos do espaço imaginado
5 Os trajetos antropológicos das imagens do sertão
6 Os limites do sertão de Riobaldo 
7 Topografia do imaginário do Grande sertão:veredas 
8 Topoanálise do sertão imaginado

CONSIDERAÇÕES FINAL

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

2 comentários:

  1. Grande prazer em escutar novamente!

    ResponderExcluir
  2. Ana Paula, obrigado pela visita. Esperei por ela ansiosamente. O Estradas e Imagens foi visitado por um farol. Uma torre altíssima.
    Obrigado.
    Volte sempre. Comente sempre.

    ResponderExcluir