Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Esquemas iniciais



Qual é a minha Filiação mais recente:
F. Schleiermacher, M. Heidegger, H.G. Gadamer, P. Ricoeur, A. Candido.

Meu método: não sei!
Desconfio que consistirá na “descrição densa” de Geertz a partir da hermenêutica crítica de Ricoeur.

Meu objeto:
O lugar imaginado e chamado sertão.

Algumas posições ou desconfianças quanto ao objeto:

1 – “Barro também é caranguejo” (C. Cascudo);

2 – Polissemia e polifonia;

3 – Barroco.

Meu objetivo:
Buscar a desmaterialização do sertão como um lugar concreto, a partir da leitura de Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa. Pretendo “localizar” o sertão como um lugar imaginado, que só existe “nominadamente” e que ajuda a formar a identidade do Brasil e do brasileiro, ethos da tradição. “Mapa imaginário” do sertão de Riobaldo, com base nas estruturas antropológicas do imaginário, de G. Durand.

0 comentários:

Postar um comentário