Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Zeus está aqui.


                                          Um pouco mais de um mês depois do adeus que não pude dar a Zeus (além do simbólico "aZeus" que escrevi aqui em 17 de janeiro), retorno a esta página. Talvez interessasse a algumas pessoas saber da riqueza das grandes perdas e dos preciosos encontros/reencontros, tudo no mesmo tempo (ou no mesmo espaço vivido com intensidade, por fim, indizível), mas recolho todos os retalhos e sigo com eles. Memória, história, esquecimento. A história de Zeus, cachorro criado por minha amada e por mim, significa ainda a possibilidade da doçura nesta vida. Todos os dias, a qualquer hora do dia (ou da noite) Zeus estava pronto e nos convidava a brincar. Acho que pelo simples prazer que ele tinha em nos ver felizes. Sigo, entre outros poucos motivos, porque ainda consigo engolir seco.

0 comentários:

Postar um comentário